Casa Museu Ema Klabin se prepara para reabertura com novidades

Spread the love

A Casa Museu Ema Klabin (SP) completa, em 2022, 15 anos de sua abertura ao público. Desde então, sua presença no calendário cultural se consolidou, e mesmo o seu nome passou a exprimir mais diretamente o convite para a visita: de Fundação Cultural, passou a se apresentar como Casa Museu.

Em 2020, além de todas as transformações na rotina e atuação trazidas pela pandemia, houve uma alteração na estrutura de governança da instituição, com a criação do cargo de superintendente, assumido por Fernanda Paiva Guimarães em 3 de agosto, após longo processo seletivo.

“Na primeira semana de trabalho, propus, como forma de nos conhecermos melhor, que trabalhássemos todos em um projeto a ser inscrito no edital BNDES+ Matchfunding 2020. Conseguimos desenvolver em poucos dias e a mais de 20 mãos o projeto Digitalização da Coleção Ema Klabin, finalizado em 7 de agosto”, contou.

O projeto foi selecionado, contou com a contribuição de 222 apoiadores e parte das atividades culturais deste ano está acontecendo com os recursos captados, reforçou. “Essa é uma boa síntese daquilo que encontrei na Fundação: um lugar aberto, já com uma trajetória maravilhosa e uma equipe engajada, propositiva e criativa, o curador mais generoso que já conheci e um Conselho e Diretoria totalmente comprometidos com a instituição, fonte de um apoio fundamental a cada passo da gestão”, disse Fernanda.

imagem-release

Exposições

A Casa Museu Ema Klabin, como todos os museus e instituições culturais do mundo, passou também a refletir sobre as suas possibilidades de atuação digital na pandemia. “Seguimos com uma intensa pesquisa sobre Ema Klabin e a coleção por ela reunida, explorando os temas que estão em nossa constituição, como o colecionismo, o protagonismo feminino e o apoio às mais diversas formas de produções artísticas, culturais e educacionais. Seguimos buscando conectar esses elementos ao mundo contemporâneo e, agora, encaramos a realidade digital”, comentou Paulo, que desenvolveu, no período da pandemia, as exposições digitais “Balada do Terror e 8 Variações”, de Maria Bonomi, “Desastres de Guerra”, de Francisco de Goya e “O Falsificador Espanhol”, esta última publicada em maio passado.

Todas as atividades dos núcleos de espetáculos, artes visuais, cursos e ação educativa da Casa Museu foram também traduzidas para a realidade digital, reunidas na ação #CasaMuseuEmCasa iniciada ainda em março de 2020. As exposições digitais são acessíveis pelo site http://emaklabin.org.br e boa parte das atividades oferecidas digitalmente estão disponíveis no canal do YouTube da Casa Museu Ema Klabin.

Formato híbrido

A partir deste ano, a aposta é no formato híbrido, que mescla presencial e digital. Como resultado do projeto Digitalização, está prevista ainda a realização da primeira atividade de realidade virtual da Casa Museu, em desenvolvimento com a Junglebee, produtora do multiartista Tadeu Jungle.

Por enquanto, é possível visitar fisicamente apenas o jardim, de quarta a domingo, das 11h às 16h, com permanência até as 17h, mas a Casa Museu se prepara para a reabertura ao público em setembro, com visitas agendadas. O processo está sendo acompanhado de perto por Fernanda e Paulo, com os protocolos de biossegurança elaborados pela consultoria ChP, com a participação de toda a equipe.

Desde 2018, a curadoria da Casa Museu define um tema a ser trabalhado ao longo do ano, que norteia a programação cultural e é registrado pela publicação Cadernos da Casa Museu Ema Klabin. Para o ano que vem, na celebração dos 15 anos de visitação do público à Casa Museu, Paulo Costa propôs o tema Dicotomias.

“A ideia é mobilizar os binômios sagrado/profano, erudito/popular, civilização/barbárie, cultural/natural, entre outros, para propor uma quebra dos binarismos que andam fazendo tão mal a todas as esferas da vida humana, além de reavaliar o papel dos museus na apresentação de suas coleções ao público”, afirma Paulo.

Estão previstas, para 2022, duas exposições que evidenciarão essa proposta em diálogo com a Coleção Ema Klabin. Os detalhes serão compartilhados em breve…

Serviço:

A Casa Museu Ema Klabin localiza-se à R. Portugal, 43 – Jardim Europa, São Paulo. Reabertura em setembro. Mais informações pelas redes sociais: Instagram: @emaklabin; Facebook: https://www.facebook.com/fundacaoemaklabin e site: https://emaklabin.org.br/.

By Julie Rocha

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *