Segundo dia da FITA é marcado por debates e palestra-show de Anderson Dias

Spread the love

A programação da Feira Internacional de Turismo da Amazônia (FITA) foi marcada, nesta sexta-feira (26), pelo início da programação técnica, com painéis de debates sobre o turismo na Amazônia e no mundo, além de palestra-show e apresentação musical.
Uma das abordagens do dia foi Políticas Públicas – Turismo, Cenários e Oportunidades. No debate, representantes do setor falaram da importância do fomento e implementação de recursos para sustentação do turismo na região. O deputado federal Otávio Leite que participou do painel de forma remota, falou dos programas criados pelo governo federal, para sustentar o setor nos momentos de crise, principalmente durante a pandemia como a Fungetur -linha de crédito de Capital de Giro destinada às empresas do setor do turismo e o programa “não cancele, remarque”, que orienta os turistas sobre a importância de não cancelar, apenas adiar, as viagens e pacotes turísticos durante a pandemia causada pelo novo coronavírus.

“Nós passamos por um dos piores momentos do mundo, o setor mais do que qualquer outro, agora começa a respirar, esses programas e os incentivos foram fundamentais para manter o empreendedor, principalmente o pequeno”, relatou Otávio Leite.

Outro assunto apresentado foi a nova forma de se produzir o turismo de experiência em todo estado, destacando a atenção aos municípios para fazer a distribuição correta de recursos e capacitação para aumentar a competitividade.
“O estado não pode estar consolidado e os municípios em frangalhos. A pandemia nos ensinou que ela chegou pra todo mundo! Nós aprendemos a valorizar a criatividade e a reinvenção do setor. O turismo não pode ser mais o de prateleira. Temos que andar de mãos dadas com os municípios”, completou Fabrício Amaral, presidente da Goiás Turismo e presidente do FORNATUR- Fórum Nacional de Dirigentes de Turismo.

A implementação das tecnologias digitais também entrou na pauta de análise dos convidados. A conectividade que traz interação e distribui o turismo nas regiões. O secretário de turismo André Dias explicou que uma governança forte é aquela que se preocupa também com o desenvolvimento dos municípios. “É impossível nos dias atuais pensar em turismo e incluir o digital, nós precisamos traçar políticas públicas e investimentos para que o retorno chegue em quem está na ponta da cadeia do turismo. É preciso que o digital faça parte da experiência turística, e que seja a realidade em todas as regiões”, pontuou Dias.

Uma das maiores dificuldades hoje, para alçar investimentos e traçar políticas públicas para o setor turístico é a falta de pesquisas e dados precisos. Não há dados concretos ou pesquisas para amparar o emprego de recursos financeiros de forma assertiva. “Não temos uma mecânica para contextualizar ou mensurar como e onde aplicar os recursos, ou de que forma. Não temos pesquisas pra isso ainda. É preciso investir em pequisa! Um dos poucos dados que temos e que eu posso apresentar, é da FGV-Fundação Getúlio Vargas. A cada $1 investido no setor $17 retornam para economia, por isso sabemos que vale a pena investir no setor”, conclui Otávio Leite.

Ainda foram discutidos os meios de investimentos do Fungetur e a complexidade sobre a geração de ICMS produzido pela cadeia turística, e que não se apropria dele. A diminuição de custos fixos dos empreendedores e a importância de capacitar os gerenciadores de turismos. “Temos mais de 64 cursos gratuitos na plataforma do governo com diversas abordagens, marketing digital, línguas estrangeiras dentre outros. Além disso, capacitar aquele pequeno empreendedor que está na ponta é o grande desafio, levar até ele a importância de melhorar o seu negócio”, diz Fábio Pinheiro, Secretário Nacional de Desenvolvimento e Competitividade do Turismo do Ministério do Turismo.

Já no segundo painel do dia foi discutido os desafios e oportunidades da gestão descentralizada do turismo. A discussão girou em torno da integração entre municípios e regiões para propor uma distribuição econômica de atrativos que sejam fomentados de forma igualitária. A proposta é que todos os municípios possam crescer juntos permitindo que o turista possa experimentar de forma diversificada o turismo de experiência.
O secretário municipal de Turismo de Parauapebas, Rodrigo Motta explicou que como exemplo, a região dos Carajás é rica, Parauapebas é conhecida pelos seus atrativos, o desafio e levar às demais regiões o incentivo e fomento ao turismo. 


O palestrante Mario Nascimento do Rio Grande do Sul, da Confederação Nacional de Municípios disse que para isso acontecer é necessário descentralizar o turismo. “Nós precisamos entender que cada cidade tem algo a apresentar e atrair turistas, assim como o turismo é incentivado nos grandes centros, é necessário fazer também no interior, dar a opção de experiência turística diversificada, isso é um desafio”, completa. 
Como parte da programação da feira, o convidado para a Palestra Show da tarde desta sexta-feira, 26 foi o empreendedor digital Anderson Dias. O pernambucano é o ser humano mais rápido a visitar todos os países do planeta terra, ele representou o Brasil e foi parar no Guiness Book com o novo recorde. Anderson falou um pouco de sua trajetória e de como o meio digital foi importante para realizar o seu sonho. “Eu tinha um sonho, olhei para o cara que era minha inspiração e pensei: Se ele pode, eu também posso! Vendi tudo o que tinha e acreditei em mim acima de tudo”, relatou Anderson.
A noite de evento foi encerrada com a apresentação da cantora Lia Sophia, que embalou o público do teatro Maria Sylvia Nunes. A FITA segue até domingo, 28, com programação de 09h as 21h, na Estação das Docas.

By Julie Rocha

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.