Setur e BNDES discutem captação de recursos e investimentos no Tapajós

Spread the love

A Secretaria de Turismo do Pará (Setur) participou de agenda com representantes do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), nos municípios de Santarém e Belterra, na região do Tapajós, no Oeste do estado. A agenda reuniu diversos atores das esferas pública municipal, estadual e federal.

A agenda aqui é para a captação de recursos e investimentos em empreendimentos turísticos na região. O foco principal da visita é o Museu de Ciências da Amazônia (MuCa) e todo o complexo que vem sendo construído com recursos do Governo do Estado e BNDES. Queremos programar a entrega ainda nesse primeiro semestre”, explicou o secretário de Turismo, André Dias. A comitiva visitou as obras e edificações da Vila Americana, as instalações do MuCa e conheceu o Plano Museológico, bem como assistiu apresentação sobre o espaço, suas demandas e cronograma de obras. Um momento especial foi a visita à hospedaria do MuCa para conhecer os projetos de formação empreendedora com jovens do Ensino Médio. “O BNDES foi recebido para tomar conhecimento das potencialidades turísticas de Santarém e Belterra. Fomos convidados pela Setur para o evento, uma vez que o Turismo também é uma vertente do desenvolvimento econômico, e como a diretriz do governador Helder Barbalho é de que as Secretarias do Estado trabalhem sempre juntas, estamos aqui em parceira com a Setur e Secult com este intuito, priorizando a geração de emprego e renda para a população”, comentou o secretário adjunto da Sedeme, Carlos Ledo. Além de Setur, Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Minas e Energia (Sedeme), Secretaria de Cultura (Secult) e BNDES, também participam das vistorias e conversas representantes do Ministério do Turismo (MTur), Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), Secretaria do Patrimônio da União (SPU), Ministério Público, Sebra e os prefeitos de Santarém, Nélio Aguiar (DEM), e de Belterra, Castro Macedo (DEM). “Depois das visitas teremos reuniões de trabalho com representantes destes parceiros para que possamos pensar em novos projetos e possibilidade para o desenvolvimento do turismo no Tapajós”, revela André Dias. Museu de Ciências da Amazônia (MuCa) Belterra, na região do Baixo Amazonas, prepara-se para ganhar o primeiro Museu de Ciências da Amazônia (MuCA). O objetivo do museu é incentivar o patrimônio histórico da região, já que ele foi construído na área da antiga Vila Americana, além de fomentar a qualificação e capacitação profissional dos próprios habitantes de Belterra, que irão de se apropriar deste equipamento, gerando novas possibilidades, por meio do turismo científico e da educação empreendedora. O investimento total do Museu é de R$ 17,6 milhões, sendo R$ 10,5 milhões financiados pelo BNDES, que incluem a restauração das duas caixas d’água e do Hospital Henry Ford, que abrigará o museu, e o restante é financiado pelo Governo do Estado para a recuperação do sistema de abastecimento de água de Belterra e para a manutenção do MuCA. O museu será composto por dois laboratórios, duas áreas expositivas, um cinema com auditório de 60 lugares, coleção natural de espécies da Amazônia e área educativa e administrativa. O Instituto Butantan, um dos parceiros do projeto, irá deslocar seu quadro de pesquisadores e técnicos para apoiar as atividades museológicas e educativas. Já a Fundação Getúlio Vargas entrará como parceiro para desenvolver a educação empreendedora com foco na bioeconomia.

By Julie Rocha

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.